Manuel Querino – Criador da culinária popular baiana

R$25,00

REF: 978-85-8325-072-3 Categoria:

Descrição

Manuel Querino tornou-se, ao longo do século passado, um importante símbolo da cultura negra pensante em nosso país. Gilberto Freyre e Câmara Cascudo souberam reconhecer, nele, a porta de acesso para a culinária negra do Recôncavo, que ocupa lugar de destaque na obra de ambos os fundadores da história e sociologia da alimentação brasileira. Querino, nesse sentido, é também um “fundador” da cozinha popular da Bahia. Nesse livro de dois especialistas no assunto – Jeferson Bacelar e Carlos Alberto Dória – Querino aparece de corpo inteiro, graças ao expediente de segui-lo pelo calcanhar, desde jovem, observando seus passos em direção a múltiplas inserções políticas e sociais de modo a melhor situar o seu discurso sobre a culinária negra. É isso que propicia uma nova análise sobre o seu clássico A arte culinária na Bahia, permitindo lê-lo como documento que nos remete a um amplo contexto social e situando o livro muito além de mera coletânea de receitas de origem africana que o integra.

CARLOS ALBERTO DÓRIA é doutor em Sociologia pela Unicamp-SP e tem se especializado em história e cultura culinária. Possui vários títulos nesta área, onde se destacam Formação da culinária brasileira (2014) e A culinária caipira da Paulistânia (2018). Em todas suas obras procura instituir um ponto de vista materialista para a análise da cultura brasileira em sua dimensão alimentar. Liberta, portanto, daquele plano simbólico onde a preocupação maior é tecer o discurso sobre a “formação nacional”, no qual a culinária brasileira seria mero recurso exemplifi cativo. Com o propósito de se ocupar de aspectos substantivos da culinária é que aprecia a obra de Manuel Querino. Nela, a rara oportunidade de captar uma voz em paralelo ao main stream da época já lhe empresta a luminosidade que Dória busca em seus estudos.

JEFERSON BACELAR é pesquisador do Centro de Estudos Afro-Orientais e professor da Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos, organizações da Universidade Federal da Bahia. Exerceu
vários cargos administrativos, porém, nunca abandonou a atividade acadêmica. Por muitos anos esteve voltado para as relações raciais, formando toda uma geração de acadêmicos e ativistas.
Orientou mais de três dezenas de alunos de graduação, mestrandos e doutorandos. Publicou mais de uma dezena de livros, além de inúmeros artigos em revistas nacionais e internacionais. Seu
último livro, em parceria com Luiz Mott, denominado A comida baiana – cardápios de um prisioneiro ilustre (1763), foi publicado pela EDUFBA, em 2016. Participou de inúmeros encontros e congressos nacionais e internacionais, entretanto, hoje, suas viagens são verticais, xamânicas. Nos últimos tempos, instigado por Vivaldo da Costa Lima, voltou-se para o campo da Antropologia da Alimentação. Com o desaparecimento do velho mestre, encontrou na amizade e vasto conhecimento sobre o assunto de Carlos Alberto Dória, a parceria ideal para a abordagem histórica e antropológica da alimentação na Bahia. Este livro é um resultado da compreensão que ambos possuem sobre Manuel Querino e a comida na Bahia.

Formato: 15×21 cm
Páginas: 
252
ISBN: 978-85-8325-072-3
Peso: 180
Ano: 2020
Preço: R$ 30,00
(Preço promocional de R$ 25,00 até o dia 14/10/2020)

 

Informação adicional

Peso 0.390 kg
Dimensões 1.5 × 15 × 21 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Manuel Querino – Criador da culinária popular baiana”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *